www.gutembergmoura.com.br

04/12/2020 - 09:41

FGV: alimentação, transporte e lazer puxam inflação da baixa renda

São Paulo/Rio (Fonte: Portal R7.com)  - A inflação da baixa renda, medida pelo IPC-C1 (Índice de Preços ao Consumidor – Classe 1), ganhou ritmo em novembro e chegou a 0,95%, acima dos 0,71% registrados em outubro,    informou a FGV (Fundação Getulio Vargas) nesta sexta-feira (4).

O IPC-C1 mede a variação da cesta de compras para famílias brasileiras com renda até 2,5 salários mínimos (R$ 2.612,50, conforme a remuneração básica atual).

Com o resultado, índice acumula alta de 4,85% em 2020 e de 5,82% nos últimos 12 meses. Já a inflação oficial, de acordo com o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), divulgado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), acumulou de 3,13% só em 2020 e está em 4,22% nos últimos 12 meses.

Ou seja, isso significa que os preços de produtos e serviços para quem ganha até R$ 2.612,50 subiram mais em 2020 do que para a população geral. O IPCA mede os preços para famílias com renda entre 1 e 40 salários mínimos. 

Segundo os dados divulgados nesta sexta-feira (4), seis das oito classes de despesas que compõem o indicador registraram aumento:

Imprimir esta matéria