www.gutembergmoura.com.br

08/01/2018 - 18:42

Fundo eleitoral desvia R$ 472,3 bilhão da saúde e educação para campanhas

O fundo eleitoral bilionário, criado a toque de caixa pelo Congresso  Nacional e válido para as eleições de 2018, retira R$ 472,3 bilhões das áreas da saúde e da educação. Uma montanha de dinheiro público, fruto do suor do cidadão, destinado para a “farra” eleitoral dos políticos.

Dinheiro fruto de emendas dos parlamentares, agora usadas para bancar suas campanhas. Um acinte à sociedade, que já paga caro para a manutenção de uma classe política perdulária, ineficiente e, sobretudo, comprometida muito mais com o seu bem-estar e sua sobrevivência.

Não é à toa que a educação brasileira anda em frangalhos, principalmente a educação de base, a saúde pública, em flangalhos, exatamente pela escassez de recursos financeiros para custeá-la. 

De lascar. 

Um detalhe: como o fundão contempla a todos, são poucos parlamentares que se impõem contra a liberação dos recursos. Afinal de contas, na política quase sempre, os meios justificam os fins. E no caso do fundo partidário, os fins atendem, plenamente, aos anseios dos políticos. Vale o silêncio da complacência.

Imprimir esta matéria