• Blog
  • Perfil
  • Política
  • Gerais
  • Imagens
  • Contato
Enquete


Nenhuma enquete.

Buscar
16.01
08:57

Prefeitura divulga detalhes do plano de vacinação contra Covid-19 em Mossoró

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Covid-19, cujo início depende do Ministério da Saúde, foi tema de reunião remota com prefeitos e seus representantes, na manhã da última quinta-feira, 14. Na ocasião o ministro da Saúde, Eduardo Pazzuello, explicitou que para a primeira fase da campanha o Governo Federal distribuirá 8 milhões de doses da vacina contra a COVID-19, sendo 2 milhões de doses desenvolvidas pela Fiocruz, em parceria com a empresa Astrazenica e a Universidade inglesa de Oxford, e outras 6 milhões de doses da Coronavac, do laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instututo Butantan.

Em Mossoró, a Secretaria Municipal de Saúde, confirmou que os profissionais da área de saúde pública e privada, que estão entre os primeiros contemplados pelo Plano Nacional de Vacinação do Ministério, serão vacinados nas suas Unidades Básicas de Saúde (UBS) e nos postos de trabalho onde estão lotados, e que para agilizar a imunização do grupo prioritário definido pelo ministério, foram definidas unidades polos.

“Nós aguardamos ansiosamente pelo início da campanha de vacinação contra a Covid-19 e faremos tudo com muita segurança por termos a certeza dada tanto pelo Ministério da Saúde, quanto pelo Governo do Rio Grande do Norte, de que não faltarão agulhas e seringas”, diz a secretária de Saúde de Mossoró, Morgana Dantas.

Quantitativo - Com relação à quantidade de doses, a secretária disse que o município ainda não recebeu nenhum documento ou indicativo após a reunião remota dos gestores com o ministro Eduardo Pazuello. “Seria ótimo ter esta informação, mas ainda nenhum município brasileiro sabe ao certo quanto vai receber em doses. Aguardamos até que o Ministério emita norma técnica que explique questões como contra indicações, manuseio, conservação, etc. Porque apesar do diálogo, o Ministério da Saúde não colocou as coisas de maneira oficial, por meio de documentos. Mas acreditamos no que foi dito, que a vacina vai chegar à população mais vulnerável dentro do previsto pelo Governo Federal”, disse Morgana.

O Plano Municipal de Vacinação contra a Covid-19 estipula trabalhar com 83 mil doses, tomando como base o que Mossoró costuma receber nas campanhas contra a Influenza. O plano do município se baseia no Plano Nacional e estipula como grupo prioritário nesta primeira fase:

1- Idosos (a partir de 60 anos) institucionalizados, ou seja, que estão em abrigos e casas de repouso, ou sob os cuidados do poder público (Instituto Amantino Câmara, Casa de Saúde São Camilo de Lélis, Cadeia Pública, Penitenciária Agrícola Dr. Mário Negócio);

2- Idosos a partir de 75 anos de idade;

3- Trabalhadores da saúde.

No Plano Nacional, consta ainda o grupo de indígenas aldeados, que não se aplica a Mossoró.

A vacinação dos idosos abrigados no Instituto Amantino Câmara será de responsabilidade de uma equipe de vacinadores da Secretaria Municipal de Saúde.

“Nós vamos pedir a cada hospital público e privado que eles nos enviem a lista dos seus funcionários, e a vacina irá até eles sem que os profissionais tenham que se dirigir as unidades básicas”, explicou a secretária de saúde.

O Plano Municipal de Vacinação prevê que as UBSs sejam monitoradas pelos Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF) dos respectivos distritos. As Unidades deverão encaminhar para o Programa Nacional de Imunização (PNI) o quantitativo de idosos de suas áreas de abrangência até o próximo dia 19 e receberão a quantidade de doses de acordo com o quantitativo informado.

Logística - As vacinas chegarão a Mossoró e municípios da região oeste através da II Unidade Regional de Saúde Pública (II URSAP) e segundo o planejamento do governo do estado, em 72 horas a vacinação começará em todas as UBSs da capital do Oeste.

No município serão 7 unidades de referência para a vacinação contra a Covid-19: UBS Dr. Chico Costa (Santo Antônio); UBS Vereador Lahyre Rosado Neto (Alto do Sumaré); UBS Maria Soares da Costa (Alto de São Manoel); UBS Dr. Epitácio da Costa Carvalho nos Pintos; UBS Dr. Francisco Nazareno (Bom Pastor); UBS Dr. José Leão (Alto da Conceição) e UBS Dr. Lucas Benjamim (Abolição III).

É recomendado que os cidadãos baixem em seus celulares o aplicativo conecteSUS e o RN Mais Vacina para fazer o registro das vacinas aplicadas.

“Estamos prontos para começar a vacinação, e a população pode ficar tranquila, porque o município conta com apoio do Estado, do Ministério da Saúde e possui uma experiência histórica e vasta em campanhas de vacinação, dispondo de profissionais dedicados e treinados”, concluiu Morgana Dantas.

Cronograma - Quanto ao cronograma para a chegada dos imunizantes aos municípios, o ministro da Saúde disse que isso pode acontecer em 18 de janeiro e que, de forma geral, a campanha está prevista para começar no próximo dia 20 em todo o Brasil.

Contudo, segundo o coordenador de Imunização de Mossoró, Etevaldo Lima, o cumprimento deste prazo por parte do Ministério da Saúde depende do aval da Anvisa, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária.

Análises - A Anvisa notificou na quinta-feira, dia 14, o Instituto Butantan e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) sobre a falta de documentação para analisar pedidos de uso emergencial das vacinas contra o novo coronavírus. Ambos os laboratórios pediram uso emergencial para grupos de risco na semana passada. O órgão vai se manifestar pela autorização ou não no próximo domingo, dia 17. O site da agência informava, às 14h18 da última quinta-feira que a CoronaVac tinha 40,92% da sua documentação já concluída. Outros 29,32% estão em análise.

Já à Fiocruz, foi solicitada informação complementar sobre 31,29% dos documentos da vacina Oxford/AstraZeneca. O primeiro lote com 2 milhões de doses desta vacina vai chegar pronto da Índia, mas a Fiocruz fará a produção nacional do imunizante.

O imunizante foi adquirido pela pasta junto ao laboratório indiano Serum Institute para garantir o início da vacinação dos brasileiros de forma simultânea e gratuita. O voo que trará as primeiras doses estava programado para ontem, 14, rumo à Ásia, mas foi adiado para esta sexta-feira, 15.
16.01
07:47

Prazo para recorrer de auxílio-doença negado termina hoje, lembra INSS

Pedido pode ser feito no aplicativo Meu INSS e no telefone 135

Brasília (Agência Brasil) - O segurado do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) que teve o auxílio-doença negado em 2020 tem até este sábado (16) para agendar uma nova perícia médica. O pedido deve ser feito pelo aplicativo Meu INSS ou pelo telefone 135.

Pode recorrer da decisão quem pediu o adiantamento do auxílio e teve o benefício negado e quem requereu o auxílio-doença a partir de 1º de fevereiro de 2020, mas não conseguiu passar pela perícia médica.

Desde setembro, as perícias voltaram a ser presenciais nas 491 agências do INSS em todo o país, após meses de atendimento virtual por causa da pandemia da covid-19. Apenas os médicos peritos pertencentes a grupos de risco – como pessoas com mais de 60 anos, grávidas, lactantes e pessoas com doenças graves – continuam trabalhando remotamente.

Ao ir para a perícia, o segurado deverá levar todos os documentos que comprovem o motivo do afastamento do trabalho, como laudos, exames, atestados e receitas médicas. O auxílio-doença é pago a empregados que não podem ir ao trabalho por mais de 15 dias em decorrência de enfermidade ou de acidente.

Para evitar a aglomeração de pessoas nas agências, o INSS antecipou, entre março e novembro, parte do auxílio doença. O segurado recebeu um adiantamento de até R$ 1.045 – valor do salário mínimo no ano passado – sem a necessidade de perícia. Após a confirmação do benefício pelo médico perito, a quantia recebida antecipadamente seria descontada dos futuros pagamentos.

De acordo com o INSS, a diferença entre o salário mínimo e o valor do auxílio doença, caso este seja superior ao mínimo, foi paga em dezembro. Eventuais ajustes estão sendo feitos neste início de 2021.
15.01
00:17

Trator furtado da Prefeitura de Mossoró há três dias é encontrado, em Gramaré

Em nota, a Prefeitura de Mossoró informa sobre a localização do trator furtado há três dias da Secretaria da Agricultura. O veículo agrícola foi encontrado, em perfeito estado, num galpão, em Guamaré. 

Abaixo, segue a íntegra do informe oficial sobre o caso.

NOTA OFICIAL:
"Agentes da Delegacia Especial de Furtos e Roubos (Defur) de Mossoró localizaram, em Guamaré, por volta das 21h desta quinta-feira (14), o trator agrícola furtado há três dias do Parque de Exposições Armando Buá (Feira do Bode), sede da Secretaria Municipal de Agricultura de Mossoró.

A Polícia Civil encontrou o veículo (marca/modelo Budny, BDY-7540B, ano 2020, cor laranja), escondido em um galpão, em perfeito estado. As circunstâncias do furto ainda estão sendo investigadas.

Em conjunto com a Guarda Civil Municipal (GCM) de Mossoró, a operação contou com apoio da Secretaria Municipal de Segurança Pública, Defesa Civil, Mobilidade Urbana e Trânsito.

Tão logo tomou conhecimento do desaparecimento do trator, a Secretaria Municipal de Agricultura comunicou o fato ao prefeito Allyson Bezerra, que de imediato determinou providências, como registro de Boletim de Ocorrência (BO). O veículo retornará a Mossoró nesta sexta-feira (15).

A Prefeitura de Mossoró agradece o empenho e o comprometimento da Guarda Civil Municipal e da Polícia Civil nas diligências, e assegura que atos lesivos ao patrimônio público não ficarão impunes e que os responsáveis serão submetidos aos rigores da lei".
13.01
07:47

Morre Maguito Vilela, prefeito licenciado de Goiânia, aos 72 anos, vítima da Covid

Gestor estava internado no Albert Einstein desde outubro e não resistiu

São Paulo (Por Agência Brasil) - O prefeito licenciado de Goiânia Maguito Vilela, de 71 anos, morreu às 4h10 desta quarta-feira (13), segundo nota divulgada, no começo da manhã, pelo Hospital Albert Einstein, em São Paulo.

De acordo com a nota, Maguito estava internado desde 27 de outubro do ano passado, na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para tratamento da covid-19.

Na sua carreira política, Maguito Vilela passou por vários cargos públicos no estado de Goiás. Ele foi vereador, senador, prefeito e governador. Antes da vida pública, foi professor e advogado.
13.01
07:17

Setor de serviços avança 2,6% em novembro e tem sexta alta seguida

Com resultado, área acumula crescimento de 19,2%, o que ainda não reverte perdas por conta da pandemia. Dados são do IBGE

São Paulo/Brasília (R7.com) - O setor de serviços avançou 2,6% em novembro, o que marca o sexto mês consecutivo de alta. Os dados constam da PMS (Pesquisa Mensal de Serviços), divulgada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta quarta-feira (13).

O ganho acumulado dos últimos meses soma 19,2%, no entanto, o resultado ainda é insuficiente para compensar perdas entre os meses de fevereiro e maio no setor, por conta da pandemia do novo coronavírus, e se encontra 3,2% abaixo do patamar do patamar de fevereiro.

Em relação a novembro de 2019, o total do volume de serviços registrou queda de 4,8%, o que marca a nona taxa negativa seguida neste índice. Já no acumulado no ano, a queda é de 8,3% em comparação com o mesmo período de 2019.
12.01
07:01

Defesa Civil faz trabalho preventivo para evitar alagamentos no período de chuva

Prefeitura de Mossoró trabalha em desobstrução de áreas críticas

Com o período chuvoso se aproximando, a Prefeitura de Mossoró, através da Defesa Civil, iniciou esta semana o trabalho preventivo, fazendo o monitoramento de locais propícios a enchentes.

O coordenador da Defesa Civil, Sub. Tenente Gama, explica que esse trabalho de prevenção é de suma importância, para que seja feito um planejamento evitando problemas mais graves. O principal objetivo das visitas é fazer o levantamento da parte estrutural dos bueiros, valas e canais.

“Nós estamos visitando os principais pontos de possíveis alagamentos da cidade, detectando os problemas para posteriormente solucionarmos junto a Secretaria de Serviços Urbanos", informa Gama.

O coordenador relata ainda que os principais fatores que contribuem para o alagamento na cidade são os terrenos irregulares e o lixo jogado em via pública.

Mapeamento - A Defesa Civil está realizando, inicialmente, visitas a 23 pontos críticos da cidade. Logo após esse trabalho, relatórios serão apresentados com as devidas medidas de precaução. O monitoramento ocorre também na região ribeirinha da cidade.

É importante ressaltar que não se deve colocar lixo em via pública, pois isso pode ocasionar a obstrução da rede de esgoto, provocando alagamentos na cidade.

Caso precise, a população pode acionar a Defesa Civil, através dos telefones 153 e 199.

07.01
23:04

Brasil supera marca de 200 mil mortes por covid-19, diz Ministério da Saúde

País também registrou recorde de novos casos e mortes em 24 horas: 94.517 e 1.841, respectivamente

Brasília (Portal R7.com) -  O Brasil atingiu nesta quinta-feira (7) a marca de 200 mil mortes pela covid-19, 301 dias após o primeiro óbito desta pandemia.

Segundo o Ministério da Saúde, o país soma hoje 200.498 óbitos, após um recorde diário de 1.841 registros. O Brasil permanece o segundo país do mundo com mais mortos por covid-19.

Outro recorde também ocorreu no número de novos casos em 24 horas: 94.517, o que leva o total de infectados no país a 7.961.673. Deste total, o Ministério da Saúde prevê que mais de 7 milhões já se recuperaram.

Os dados não incluem números do Amazonas e do Rio de Janeiro, que tiveram problemas técnicos na transmissão.

São Paulo, Minas Gerais e Santa Catarina permanecem como sendo os estados com os maiores números de infectados.


A média móvel de mortes está em 793, aumento de 7,6% em relação ao registrado há duas semanas.

Já a média móvel de novos casos diários ficou em 40.814 nesta quinta-feira, redução de 8,9% na comparação com o dia 24 de dezembro.
07.01
22:54

Ministério da Saúde assina contrato de compra de doses da CoronaVac

Acordo prevê aquisição da totalidade das doses produzidas pelo Instituto Butantan: 46 milhões até abril e outras 56 milhões depois

Brasília (Portal R7.com) - O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, afirmou na tarde desta quinta-feira (7) que assinou hoje um acordo com o Instituto Butantan para a compra de totalidade da produção da CoronaVac, que sera usada em todo o SUS.

"Toda a produção do Butantan, todas as vacinas que estão no Butantan, serão a partir deste momento do contrato, incorporadas ao Plano Nacional de Imunização. Serão distribuídas de forma equitativa e proporcional a todos os estados, como cada uma das vacinas da AstraZeneca", disse.

Segundo Pazuello, o Butantan se comprometeu a entregar 46 milhões de doses da vacina contra a covid-19 até abril. Outras 54 milhões serão disponibilizadas no restante do ano, totalizando 100 milhões de doses, que é a capacidade total da fábrica.

O secretário-executivo da pasta, Elcio Franco, detalhou que o negócio envolve a compra das 46 milhões de doses e a opção de compra do restante, caso haja necessidade. O preço de cada dose é de R$ 58,20 — cada pessoa deve receber duas vacinas em um intervalo de 28 dias. 

O contrato só foi possível após uma medida provisória editada ontem pelo governo, acrescentou o ministro.


"Eu só podia fechar o contrato e empenhar com a MP que dá essa autorização. Senão eu tinha que esperar ficar pronta e registrada, incluir no SUS e depois pagar. São as leis do nosso país."

Continua mantida a previsão do ministério de, na melhor das hipóteses, começar a campanha de vacinação no dia 20 de janeiro.

O governo conta com 2 milhões de doses da vacina de Oxford que serão importadas de um fornecedor da AstraZeneca na Índia e mais 6 milhões de doses do Butantan. 


As duas vacinas ainda precisam obter autorização de uso emergencial da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), o que demora cerca de dez dias após a submissão do pedido. 

Contrato - Em nota, o Instituto Butantan disse que "a minuta de contrato com o órgão federal foi recebida pelo instituto e imediatamente submetida à análise do departamento jurídico visando à sua rápida formalização". 

No entanto, comemorou a decisão do governo federal de comprar as doses da CoronaVac.

07.01
08:08

Covid-19: 354 milhões de doses estão asseguradas em 2021, diz Pazuello

Brasília (Agência Brasil) - O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, afirmou hoje (6), em pronunciamento em rede nacional de rádio e TV, que o Brasil tem asseguradas, para este ano, 354 milhões de doses de vacinas contra a covid-19. Do total, 254 milhões serão produzidas pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), em parceria com a AstraZeneca, e 100 milhões pelo Butantan, em parceria com a empresa Sinovac.

Pazuello anunciou também a edição de uma medida provisória que trata de ações excepcionais para aquisição de vacinas, insumos, bens e serviços de logística.

O ministro informou que o ministério está em processo de negociação com os laboratórios Gamaleya, da Rússia, Janssen, Pfizer e Moderna, dos Estados Unidos, e Barat Biotech, da Índia.

Segundo Pazuello, estão disponíveis atualmente cerca de 60 milhões de seringas e agulhas. “Ou seja, um número suficiente para iniciar a vacinação da população ainda neste mês de janeiro”, disse o ministro. “Temos, também, a garantia da Organização Panamericana de Saúde [Opas] de que receberemos mais 8 milhões de seringas e agulhas em fevereiro, além de outras 30 milhões já requisitadas à Abimo [Associação Brasileira da Indústria de Artigos e Equipamentos Médicos e Odontológicos], a associação dos produtores de seringas”. 

Pazuello destacou que o Brasil está preparado logisticamente para a operação de vacinação. “Hoje, o Ministério da Saúde está preparado e estruturado em termos financeiros, organizacionais e logísticos para executar o Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19”, disse.

Sobre a vacina da Pfizer, o ministro destacou os esforços para resolver as “imposições que não encontram amparo na legislação brasileira”, como a isenção de responsabilização civil por efeitos colaterais da vacinação e a criação de um fundo caução para custear possíveis ações judiciais. O ministro disse ainda que em breve o Brasil será exportador de vacinas para a região. 

Medida Provisória - Assinada pelo presidente Jair Bolsonaro, a medida provisória citada por Pazuello prevê que o Ministério da Saúde será o responsável por coordenar a execução do Plano Nacional de Operacionalização de Vacinação contra a Covid-19. A norma também prevê a contratação de vacinas e de insumos, antes do registro sanitário ou da autorização temporária de uso emergencial pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e o treinamento de profissionais para imunizar a população. “Asseguro que todos os estados e municípios receberão a vacina de forma simultânea, igualitária e proporcional à sua população”, destacou ao reafirmar que a vacina será gratuita e não obrigatória.

07.01
08:05

Presidente Lawrence Amorim organiza Câmara para início da período legislativo

Durante o mês de janeiro, a Câmara Municipal de Mossoró está realizando reparos e organizando a Casa para o início do ano legislativo. Com a chegada de dois novos representantes do povo, que se somam aos 21 cargos anteriormente existentes, duas salas foram adaptadas para recebê-los.

Durante toda a semana, o presidente, vereador Lawrence Amorim (Solidariedade), está realizando reuniões com funcionários da Câmara, vereadores e membros da Mesa Diretora. “Estamos discutindo as adaptações que devemos realizar, reorganizando a Câmara e conhecendo melhor o funcionamento dos setores da Casa. Somos 23 vereadores, 17 estão no primeiro mandato”, explicou.

A sessão legislativa começa com a tradicional leitura da mensagem do Poder Executivo, em fevereiro. A solenidade marca o começo do trabalho do legislativo e é o momento onde o prefeito Allyson Bezerra (Solidariedade) fará um pronunciamento aos vereadores sobre as expectativas e projetos para o ano que se inicia. 

© 2009 Gutemberg Moura - A notícia com credibilidade. Todos os direitos reservados

Desenvolvimento: Micael Melo